PROGEP recebe inscrições para Oficina de Prevenção ao Câncer de Mama; são 40 vagas, abertas ao público

11 de setembro de 2019

Em alusão à Campanha Outubro Rosa, a Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas (PROGEP), por meio da Divisão de Apoio Psicossocial (DIAPS), promoverá, no dia 9 de outubro, a Oficina de Prevenção ao Câncer de Mama.

Aberta a servidores e a estudantes da Universidade Federal do Ceará, bem como ao público em geral, a atividade oferta 40 vagas. As inscrições para o evento podem ser realizadas via formulário eletrônico.

A oficina será realizada às 14h, no auditório da Coordenadoria de Qualidade de Vida da PROGEP (Rua Paulino Nogueira, 315, altos do bloco II, Campus do Benfica), e contará com a participação da enfermeira e mestranda do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da UFC Adrielle Oliveira, integrante do Grupo de Estudos em Câncer de Mama (GECAM/UFC).

A DIAPS, por meio da Oficina de Prevenção ao Câncer de Mama, objetiva abordar as melhores estratégias de prevenção e diagnóstico precoce desse tipo de câncer. A ação integra o Projeto Mais Saúde no Trabalho, do Programa Saúde e Bem-Estar no Trabalho da UFC, em consonância com o eixo de vigilância e promoção à saúde da Política de Atenção à Saúde e Segurança no Trabalho do Servidor Público Federal (PASS).

SAIBA MAIS – De acordo com os dados da Coordenadoria de Perícia e Assistência ao Servidor (CPASE), em 2018 o câncer de mama esteve entre as três doenças que ocasionaram maiores períodos de afastamento de servidoras da UFC.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o câncer de mama é a doença com maior prevalência entre as mulheres – depois do câncer de pele não melanoma – no Brasil e no mundo. A incidência no Brasil é de 29% de novos casos a cada ano. A doença também acomete homens.

Não é possível correlacionar o aparecimento da doença a uma única causa somente. Um dos mais importantes fatores de risco é a idade (aproximadamente quatro em cada cinco casos de câncer de mama ocorrem após os 50 anos). Outros fatores podem aumentar o risco da doença, como:

Fatores ambientais – obesidade e sobrepeso após a menopausa; sedentarismo e inatividade física; consumo de bebida alcoólica; exposição frequente a radiações ionizantes (raios-X).

Fatores da história reprodutiva e hormonal – primeira menstruação antes de 12 anos; não ter tido filho; primeira gravidez após os 30 anos; parar de menstruar (menopausa) após os 55 anos; uso de contraceptivos hormonais (estrogênio-progesterona); ter feito reposição hormonal pós-menopausa, principalmente por mais de cinco anos.

Fatores genéticos e hereditários – história familiar de câncer de ovário; casos de câncer de mama na família, principalmente antes dos 50 anos; histórico familiar de câncer de mama em homens; alteração genética, especialmente nos genes BRCA1 e BRCA2.

PREVENÇÃO – Praticar atividades físicas; adotar dieta alimentar equilibrada e controlar o peso corporal; evitar consumo de bebidas alcoólicas; manter exames preventivos em dia; amamentar e evitar uso de hormônios sintéticos, como anticoncepcionais e terapias de reposição hormonal, são medidas que podem reduzir aproximadamente 30% dos casos de câncer de mama, de acordo com o INCA.

Fonte: Divisão de Apoio Psicossocial – fone: (85) 3366 7887 – e-mail: diaps.progep@ufc.br

Notícia publicada no Portal da UFC